sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sex Feria - Surpresas

Havíamos marcado à muito tempo essa noite entre garotas, esperava ansiosamente por esse encontro, pois à várias semanas vinha trabalhando sem parar e senti que estava me distanciando dos amigos, principalmente dela, com quem sempre tive uma relação muito próxima, melhores amigas por assim dizer, com a adequada pitada de intimidade. Dividimos a cama sempre que dormimos na casa uma da outra, até tomávamos banho juntas, sempre sem malícia, claro, afinal somos apenas amigas que lavam os cabelos e esfregam as costas da uma da outra.
Nessa noite em especial fui intimada com a justificativa de que grandes amigas não podem se distanciar, assim fui para a casa dela. Chegando lá surpreendi-me ao vê-la abrir a porta usando nada mais que uma camiseta e uma calcinha, um look completamente de moleca, a calcinha tinha até um ursinho na frente. Nunca havia sentido atração por mulheres mas essa visão me deixou extasiada, excitada até. Nos abraçamos apertado o suficiente para perceber que ela não usava sutiã por baixo da blusinha colada, mas tudo bem, somos grandes amigas e eu mesma esqueci de colocar o sutiã na correria para sair de casa.
Mas esse roçar de seios me deixou ainda mais excitada, minhas mãos ficaram geladas e senti um frio na barriga, podia jurar que havia sentido que os nossos mamilos haviam se roçado, fiquei com receio por ter gostado disso, “O que está acontecendo comigo? Nunca reparei nisso antes.”, tentei afastar esses pensamentos da cabeça enquanto nos sentamos no sofá e colocávamos a conversa em dia. Alguns minutos depois ela desculpou-se e disse que iria tomar um banho, pois ainda não tomara banho desde que chegara em casa e convidou-me para ir com ela.
Mesmo tentando afastar essas idéias estranhas da cabeça aceitei de imediato, sem me dar conta de que já estava pensando em um jeito de tocar no seu corpo, que por sinal nunca havia reparado como era delicioso, “Delicioso?” pensei, “meu deus, o que há de errado comigo hoje?”, mas logo voltei a perder-me em pensamentos quanto as curvas daquele corpinho, que apesar dos seus 25 anos mais parecia o de uma adolescente. Lembrei dos cabelos que escorriam até as barroquinhas das suas costas, logo acima daquele bumbum que apesar de não ser grande era suficientemente empinadinho para chamar atenção por onde passava.
Aqueles olhos negros e inquisidores que sempre parecem saber dos meus segredos mais íntimos e sempre percebem quando existe algo de errado, olhos esses que também sabem demonstrar um amor e um carinho que me surpreendem por não achar que exista alguém no mundo capaz de demonstrar mais ternura com um olhar. Seu nariz bem desenhado, que não ficaria bonito em nenhum rosto que não aquele, os lábios carnudos que arrancam comentários dos mais inesperados. Seu pescoço que sempre tem um cheirinho tão bom e familiar e que consegue me acalmar quando estou mais descontrolada.
Seus seios modestos, porém tão belos e firmes parecendo que foram finamente trabalhados por um artesão, sempre realçados por generosos decotes que os destacavam ainda mais, os mamilos exatamente do tamanho certo cabendo completamente na boca de quem tiver a sorte de prová-los e que ao menor sinal de frio ou excitação marcam suas roupas e tornam o conjunto ainda mais atraente. Sua barriga e cintura perfeitamente definidos e naturais dão a impressão de terem sido modelados por mãos habilidosas.
Suas coxas também não são generosas, porém volumosas o suficiente para atrair os olhares e elogios dos mais indiscretos e para completar, essa verdadeira diva tem pezinhos delicados como toda garota deve ter, sempre impecavelmente cuidados. Estava perdida em devaneios quando ouvi ela me chamando do banheiro:
- Então linda, você vem ou não vem? Já estou ficando com frio aqui.
Respondi prontamente:
- Já estou indo, desculpa é que est... Não consegui nem terminar a frase, enlouqueci com a visão do seu corpo nu.
Quase perdi a força nas pernas, nunca irei me esquecer do jeito que seu corpo estava desnudo, para minha felicidade e admiração claro. Estava ardendo por dentro, minhas pernas tremendo e a respiração ofegante. Pensei: “Ela é minha melhor amiga, não posso fazer nada com ela, sem falar que nunca estive com uma garota, acho que é só uma coisa momentânea.” Estava novamente perdida em devaneios quando ela me chamou de novo para o chuveiro:
- Baby, vem logo, quero que você esfregue as minhas costas do jeito que só você sabe fazer.
Era só o que eu precisava ouvir para que as minhas apreensões logo serem postas de lado e eu começar a me despir, fiquei envergonhada ao tirar a calcinha e o sutiã e perceber o quanto ela havia mexido comigo nesses poucos minutos desde a minha chegada. Não me recordava de me sentir tão atraída e tão excitada por alguém em toda a minha vida. Terminei de tirar a roupa e entrei no Box e fiquei ao seu lado. De repente ela tocou na minha barriga e me abraçou, fazendo novamente com que nossos seios se encontrassem ao mesmo tempo em que ela me deu um beijo no pescoço, que de tão gostoso e úmido quase me levou a um orgasmo, tão súbito quanto o seu toque foi o elogio que se seguiu:
- Nossa amiga, como você está linda, tenho uma inveja danada do seu bumbum e desses seus peitões maravilhosos. Huummm, você por acaso está com frio? Seus faróis estão dando luz alta viu?
Fiquei corada na hora e ela percebeu, deu uma risada gostosa, como sempre faz quando estamos juntas.
– Só um pouquinho - menti - Ando muito sensível ultimamente.
– É mesmo? - Ela rebateu - Vamos ver se é verdade - Disse no mesmo momento em que me empurrava contra a parede do chuveiro e me dava um chupão no pescoço. Tentei me controlar mas não consegui segurar um gemidinho de prazer e satisfação. Ela parou na hora, me olhou nos olhos, colocou o dedinho no lábio inferior como só as molecas de verdade fazem e disse:
- Ué e não é que não é verdade? Hihihi
Não sei se foi esse jeito de menina levada, ou se foram os meus pensamentos desde a minha chegada, mas não consegui resistir ao impulso de beijá-la, provar daqueles lábios e língua. Beijei-a com todo o poder da luxúria que vinha sentindo desde o começo da noite. Nos beijamos por longos minutos até que me dei conta do que estava acontecendo e parei. Fiquei envergonhada por não ter conseguido suprimir os meus instintos:
- Que fome hein garota?
- Nossa! Desculpa! Não sei o que me deu, me perdoa!
– Perdoar o quê? Faz tempo que espero você tomar a iniciativa, não queria correr o risco de estragar nossa amizade.
– Sério? Isso nunca me passou pela cabeça antes, mas hoje não consegui me segurar.
– Que bom!
E ela me abraçou de novo e continuou a me beijar, pude perceber quanto tesão guardado por mim ela tinha, conseguia sentir sua excitação em sua pele macia, na sua respiração, nos arrepios que passavam pelo seu corpo e pela sua respiração ofegante e nos seus gemidinhos contidos. Tentei me afastar um pouco para respirar, mas ela parecia possuída, segurou minha cabeça e continuou me beijando com uma avidez que me deixava tonta. Ela foi descendo a boca, e passou a chupar o meu pescoço, percebi que estava tremendo e também toda arrepiada, quando seus lábios encostaram nos meus seios, tive um orgasmo que tirou a força das minhas pernas e caí sentada.
Mas ela não me soltou, pelo contrário caiu junto comigo e começou a sugar meus mamilos, com a força certa, alternando o sugar com mordicadas nos mamilos e por todo os seios.
– Confia em mim? - Ela disse
– Claro - Respondi – Sempre.
Ela começou a descer a boca ainda mais e beijou a parte interna das minhas coxas. Comecei a tremer mais intensamente, pressentindo o próximo orgasmo. Quando ela finalmente atingiu o lugar tão ansiado por ambas, fui às estrelas, comecei a ficar tonta. Sua língua se mexia com maestria enquanto me lambia, me chupava e me penetrava cada vez mais fundo.
Segurei seus cabelos e tentei me esquivar, estava muito gostoso, mas não conseguia resistir, meu corpo não agüentava tanto prazer de uma só vez. No momento em que ela aumentou a intensidade dos movimentos com a língua, que por sinal me penetrava melhor que muitos homens, ela passou a acariciar os meus seios e apertar meus mamilos entre os dedos me fazendo ter o maior orgasmo da minha vida, tão intenso que apaguei.
Quando acordei percebi que já era manhã, não consegui abrir os olhos de tanta exaustão, cheguei a imaginar que não passara de um sonho. Quando finalmente abri os olhos a vi deitada ao meu lado, nua, linda e poderosa, uma verdadeira diva. Já estava acordada me encarando, com aquele sorriso safado de adolescente quando disse:
- Pronta pro segundo round?



Rodrigo Norat -  15/6/10

2 comentários:

Faces e Fazes de NIL disse...

Minha nossaa!!!!
menina, só respirei depois que terminei de lé´.rssss

Lívia disse...

Que bom que gostou ^^
Tem outro, o primeiro, que é de minha autoria. Mês que vem esse dai continua ;)