terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Pensamentos Perdidos

E dizem que queriam ter certeza, saber onde pisam, pra não mais errar, pra não mais pecar, pra não mais se machucar... Eu? Eu não quero certeza, eu quero desconhecido, eu quero poder te perguntar coisas sem saber a resposta e me me surpreender com ela. Não importa se pra melhor, se pra pior, apenas quero a incerteza, a novidade, o estranho. Quero que você seja você mesma, faça o que quiser e o que bem entender. Não seja previsível, esperada, imaginada. Foi por isso que me apaixonei por você, pela sua impulsividade, pelas surpresas de estar ao seu lado. Por mais que queiras a rotina, a não mudança, a mesmice, você muda todos os dias. Você evolui, cresce, se transforma, amadurece, fica mais... Você. Exatamente isso, inexperado, surpresa, do nada. Essas surpresas são boas, em todos os sentidos, de todas as maneiras, de todas as formas. Às vezes vc me surpreende pra pior, mas os prós são maiores que os contra e isso que vale. O crédito no final é sempre maior, o bônus, a recompensa, o prêmio, serão sempre maiores. Sabe porque? Porque é VOCÊ.






Lívia Otero - 14.12.10

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A menina

" Não sei bem o que dizer sobre mim. Não me sinto uma mulher como as outras. Por exemplo, odeio falar sobre crianças, empregadas e liquidações. Mas segui todos os mandamentos de uma boa menina: brinquei de boneca, tive medo do escuro e fiquei nervosa com o primeiro beijo. (…) Ninguém desconfia do meu anti socialismo interno. Adoro massas cinzentas, detesto cor-de-rosa. Penso como um homem, mas sinto como mulher. Não me considero vítima de nada. Sou autoritária, teimosa, impulsiva e um verdadeiro desastre na cozinha. Peça para eu arrumar uma cama e estrague meu dia.Tenho um cérebro masculino, como lhe disse, mas isso não interfere na minha sexualidade, que é bem ortodoxa. Já o coração sempre foi gelatinoso, me deixa com as pernas frouxas diante de qualquer um que me convide para um chopp(...) Sou estrategista, batalhadora, porém traída pela comoção. Num piscar de olhos fico terna, delicada. Acho que sou promíscua. São muitas mulheres numa só, e alguns homens também."


Martha Medeiros