sexta-feira, 4 de junho de 2010

Te amo

Penso tanto em ti que às vezes chego a me perder. Me perder nos pensamentos contigo, pairando, entre as nuvens mais altas. Tem coisas que não consigo mandar para o papel em forma de palavras, não palavras que possam serem lidas. Você insiste em me mostrar como as coisas são, mas eu prefiro a ignorância, a ignorância do amor. Ela é bela, insconstante, inocente, pura. Assim como o beijo que imagino, o toque no teu rosto, o aroma do teu hálito. Toda vez que te vejo meus olhos inundam, resta saber do que. Descanço das noites contigo, sem você, na verdade. Não desisto, porque eu sei, muito mais do que você ou qualquer outra pessoa. A distância é um mero detalhe, afinal, ela é apenas física. Pra se estar junto não é preciso estar do lado e eu te amo por isso. Sou ansiosa ao extremo, não consigo evitar. O silêncio que precede e procede chega a me consumir, me matando aos pouquinhos, me deixando cada dia mais nervosa. Será que vou desmaiar quando te encontrar? Espero que não, espero ficar acordada por todos os minutos possíveis e também aqueles imagináveis. Não te perder ou deixar por um minuto se quer. Poder te ver, poder te ter, te ler... S2



Lívia Otero - 4/6/10

0 comentários: